Lean Manufacturing on Metal Gears.

Novidades tecnológicas estão acessíveis para todos os portes de indústria, permitindo produzir cada vez mais com menos recursos

Fábricas inteligentes, conectadas com sensores que aumentam a produção com menos recursos são uma realidade cada vez mais presente no Brasil e no mundo. Esse movimento, chamado de Quarta Revolução Industrial, é uma tendência e quem não aderir corre o risco de ficar para trás e perder muitos negócios em um futuro próximo. Mas ainda há um problema sobre o assunto: existe uma forte percepção entre as indústrias de que as novas tecnologias estão disponíveis apenas para os grandes players do mercado.

João Bosco Faiad Militão, coordenador técnico de Negócios do Senai no Paraná, explica que principalmente as micro e pequenas empresas podem se beneficiar das novidades tecnológicas. “Um dos principais problemas que encontramos nas empresas em que prestamos consultorias é a baixa produtividade e o controle desses processos”, explica.

As indústrias de porte pequeno e médio não precisam realizar investimentos extravagantes para adotar o que tem de mais novo na tecnologia industrial. O especialista do Senai no Paraná acrescenta que essas indústrias podem ter acesso a diferentes estratégias para conduzir esse investimento sem onerar o fluxo de caixa no dia a dia, o que pode envolver desde parcerias a linhas de financiamento, subsídios e editais de inovação tecnológica – todos mecanismos que podem contar com o apoio do Senai.

A modernização envolve a instalação de conectores e sensores que tornam a indústria mais inteligente e permite aos gestores acompanhar em tempo real a linha de produção. “Nesse modelo eles conseguem tomar decisões importantes de modo praticamente online para ter uma gestão melhor”, afirma. O Senai é um dos maiores e mais importantes condutores de transferência de tecnologia no Paraná, por meio dos serviços de consultoria tecnológica.

A Quarta Revolução Industrial é um movimento de ampla modernização das indústrias. Com máquinas conectadas à internet e sistemas integrados, a tendência é que as fábricas inteligentes ganhem ainda mais autonomia no modelo de produção, ao mesmo tempo em que aumentam a eficiência e as possibilidades de customização dos produtos.

Nesse novo tempo, termos como Internet das Coisas, Big Data, computação em nuvem, realidade aumentada, visualização em 3D, simuladores e muitos outros terão cada vez mais importância no dia a dia das indústrias. O último grande salto nesse setor aconteceu entre as décadas de 1950 e 1970, quando os primeiros robôs começaram a surgir para automatizar a produção, e o resultado foi um enorme salto de produtividade em todo o mundo.

Consultorias para crescer

 

O especialista do Senai afirma que tem observado um aumento expressivo na busca das indústrias por consultorias tecnológicas, em virtude das oportunidades que têm surgido nos últimos anos para otimizar a produção das fábricas. Outras empresas também estão procurando a instituição para ajudar no desenvolvimento de novos produtos e processos.

Esse é o caso de uma máquina desenvolvida no Instituto Senai de Tecnologia (IST) em Metalmecânica, instalado em Maringá, para diminuir os resíduos de pedaços de aço e óleo que sobram no processo industrial. A partir da ideia levada por dois engenheiros, João Pedro Kovalchuk e Guilherme Barini, o Senai desenvolveu o primeiro protótipo dessa máquina, eliminando a necessidade de as indústrias transportarem esses resíduos para centrais que fazem esse mesmo trabalho. “Nós chegamos com a ideia. Nada além disso. A equipe do Senai desenvolveu uma pesquisa de mercado, os cálculos, o projeto, o design e sugeriu melhorias. Tudo. O resultado ficou muito além do que a gente poderia imaginar”, diz Kovalchuk.

A novidade leva a uma economia de custos com transporte e destinação dos resíduos, e ainda gera reaproveitamento de materiais, especialmente do óleo, o que fez empresas nos EUA e no Canadá demonstrarem interesse na compra. Os engenheiros também deram início ao processo de obtenção de patentes em outros países.

João Bosco diz que outra consultoria que tem tido bastante procura é a de Lean Manufacturing (ou Manufatura Enxuta), por poder ser implantada em qualquer segmento da indústria. A consultoria tem como objetivo otimizar todo o processo de manufatura, diminuindo o tempo de montagem de produtos, de movimentação dos funcionários e de paradas para manutenção das máquinas.

Com a implementação dessas técnicas, os ganhos costumam ser expressivos. Em 2016, o Senai desenvolveu um projeto-piloto, em parceria com o Governo Federal, para atender centenas de micro, pequenas e médias indústrias no Paraná, com o objetivo de aumentar em pelo menos 20% a produtividade dessas empresas. O resultado foi um aumento de 33% a 63% entre os participantes, aplicando apenas a manufatura enxuta.

Quer saber como produzir mais com menos recursos? Entre em contato com o Senai e conheça as consultorias.

Por Parceiros InfoMoney  18 dez, 2017 00h00

Fonte: http://www.infomoney.com.br/conteudo-patrocinado/noticia/7144953/revolucao-industrial-para-todos-inovacoes-tecnologicas-ganham-espaco-ate-mesmo