1-ControledequalidadeEm 1999 a McKinsey, renomada empresa de consultoria norte-americana, apresentou um estudo que comparava as taxas de produtividade de alguns países (Brasil, Japão, Índia) à produtividade dos Estados Unidos.

Os resultados do estudo não foram surpreendentes e evidenciaram, dentre outros pontos, que a baixa produtividade das indústrias brasileiras estava ligada aos seguintes pontos:

  • Política macroeconômica;
  • Atraso tecnológico (em alguns setores);
  • Complexidade dos processos;
  • Reduzido volume de investimentos;
  • Baixo grau de organização e planejamento das empresas.

Ainda segundo o estudo, o baixo grau de instrução da mão-de-obra não tinha impacto sobre a produtividade brasileira como poderia se imaginar.

Adicionalmente, a McKinsey apresentou o papel do governo e das empresas, no aumento da competitividade nacional.

Governo

a)    Manutenção da estabilidade econômica;

b)   Eliminação de barreiras à produtividade (juros, abertura de mercado, etc);

c)    Redução da informalidade.

Empresas

a)    Investimento em capacitação gerencial e de lideranças;

b)   Desenvolvimento de programas de gestão que promovam o planejamento, a organização e o aumento da produtividade.

 

O sistema de gestão da qualidade (SGQ)

Muitas mudanças ocorreram desde que, há 16 anos, o estudo da McKinsey foi publicado. A economia brasileira ganhou certa estabilidade, a tecnologia passou a ser incorporada no dia-a-dia das empresas e a capacidade de gestão foi sendo otimizada, à medida que o gestor brasileiro aprendeu a planejar.

A última década também apresentou um “boom” na implantação de sistemas de gestão em empresas nacionais, notadamente no segmento de prestação de serviços.

É fato que a elevada competitividade do mercado e a impossibilidade se repassar aos clientes todos os custos inerentes ao processo produtivo, contribuem para que se busquem alternativas para a minimização dos desperdícios e, consequente lucratividade da empresa.  Para muitos empresários, o Sistema de Gestão da Qualidade tem sido a resposta a essa busca.

A alta direção das empresas tem percebido que, quando implantado com seriedade e eficácia, o Sistema de Gestão da Qualidade tem trazido ótimos resultados para os negócios.

Dentre os inúmeros benefícios concretos que as empresas podem ter, citamos:

  • Melhoria na organização através do mapeamento dos processos e padronização das atividades;
  • Melhoria na capacidade de planejamento;
  • Melhoria na imagem da empresa através da satisfação dos clientes;
  • Redução no índice de desperdícios;
  • Redução no índice de reclamações;
  • Melhoria no clima interno da organização;
  • Valorização da empresa em relação à concorrência.

As empresas que estão implantando o sistema de gestão da qualidade (SGQ) sabem que o certificado ISO 9001 é apenas consequência do trabalho realizado. Mais do que um “diploma para a empresa”, o certificado simboliza a mudança de visão dos gestores e a mudança comportamental da empresa como um todo. Mais do que um papel da parede, o certificado ISO 9001 atesta que a empresa efetivamente se compromete com a melhoria contínua de seus processos e a satisfação de seus clientes.

Fonte: http://blog.qualidadesimples.com.br/2015/04/13/a-produtividade-e-o-sistema-de-gestao-da-qualidade/

Em 1999 a McKinsey, renomada empresa de consultoria norte-americana, apresentou um estudo que comparava as taxas de produtividade de alguns países (Brasil, Japão, Índia) à produtividade dos Estados Unidos.

Os resultados do estudo não foram surpreendentes e evidenciaram, dentre outros pontos, que a baixa produtividade das indústrias brasileiras estava ligada aos seguintes pontos:

  • Política macroeconômica;
  • Atraso tecnológico (em alguns setores);
  • Complexidade dos processos;
  • Reduzido volume de investimentos;
  • Baixo grau de organização e planejamento das empresas.

Ainda segundo o estudo, o baixo grau de instrução da mão-de-obra não tinha impacto sobre a produtividade brasileira como poderia se imaginar.

Adicionalmente, a McKinsey apresentou o papel do governo e das empresas, no aumento da competitividade nacional.

Governo

a)    Manutenção da estabilidade econômica;

b)   Eliminação de barreiras à produtividade (juros, abertura de mercado, etc);

c)    Redução da informalidade.

Empresas

a)    Investimento em capacitação gerencial e de lideranças;

b)   Desenvolvimento de programas de gestão que promovam o planejamento, a organização e o aumento da produtividade.

 

O sistema de gestão da qualidade (SGQ)

Muitas mudanças ocorreram desde que, há 16 anos, o estudo da McKinsey foi publicado. A economia brasileira ganhou certa estabilidade, a tecnologia passou a ser incorporada no dia-a-dia das empresas e a capacidade de gestão foi sendo otimizada, à medida que o gestor brasileiro aprendeu a planejar.

A última década também apresentou um “boom” na implantação de sistemas de gestão em empresas nacionais, notadamente no segmento de prestação de serviços.

É fato que a elevada competitividade do mercado e a impossibilidade se repassar aos clientes todos os custos inerentes ao processo produtivo, contribuem para que se busquem alternativas para a minimização dos desperdícios e, consequente lucratividade da empresa.  Para muitos empresários, o Sistema de Gestão da Qualidade tem sido a resposta a essa busca.

A alta direção das empresas tem percebido que, quando implantado com seriedade e eficácia, o Sistema de Gestão da Qualidade tem trazido ótimos resultados para os negócios.

Dentre os inúmeros benefícios concretos que as empresas podem ter, citamos:

  • Melhoria na organização através do mapeamento dos processos e padronização das atividades;
  • Melhoria na capacidade de planejamento;
  • Melhoria na imagem da empresa através da satisfação dos clientes;
  • Redução no índice de desperdícios;
  • Redução no índice de reclamações;
  • Melhoria no clima interno da organização;
  • Valorização da empresa em relação à concorrência.

As empresas que estão implantando o sistema de gestão da qualidade (SGQ) sabem que o certificado ISO 9001 é apenas consequência do trabalho realizado. Mais do que um “diploma para a empresa”, o certificado simboliza a mudança de visão dos gestores e a mudança comportamental da empresa como um todo. Mais do que um papel da parede, o certificado ISO 9001 atesta que a empresa efetivamente se compromete com a melhoria contínua de seus processos e a satisfação de seus clientes.

Deixe uma resposta